Goiás é líder na geração de empregos na Região Centro-Oeste, diz Caged

O saldo dos empregos formais em Goiás no mês de outubro é de 4.850 novas vagas com Carteira de Trabalho assinada. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), órgão do Ministério da Economia, e foram divulgados nesta terça-feira (30/11). O indicador é resultado de 62.588 admissões contra 57.738 demissões.

No acumulado de janeiro a outubro, Goiás segue na liderança na Região Centro-Oeste e na oitava posição nacional, com saldo de 107.132 vagas, resultado de 622.762 admissões ante 515.630 demissões.

“O Governo de Goiás busca ações concretas no sentido de gerar emprego. Não existe programa social mais eficiente no mundo do que o emprego. É o que dá dignidade, condição de crescimento às pessoas”, afirma o governador Ronaldo Caiado ao citar iniciativas em desenvolvimento no Estado, como o projeto Cinturão da Moda, da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), que deve levar para 30 pequenos municípios o modelo de negócios já frutífero da Região da 44, em Goiânia, com previsão de geração de *milhares de* postos de trabalho.

Outras ações são o programa Mais Emprego, da Secretaria de Estado da Retomada, e as diversas iniciativas de oferta de crédito a empresários e qualificação para trabalhadores. “Isso é fundamental para um Estado como Goiás, que tem uma posição geográfica importante, mas também grandes desafios que estamos vencendo”, completa o governador. 

Dados do Caged

Apesar do número positivo no mês de outubro, o saldo do período de dez meses ficou na casa dos 107 mil empregos formais, praticamente o mesmo registrado entre janeiro e setembro. Esse resultado se explica pelos ajustes feitos pelo Caged, que mudou as tabelas de todo o ano.

Os setores que mais alavancaram a criação de vagas de trabalho no mês foram os serviços, com saldo de 4.861 empregos; seguido do comércio com 1.770; e construção civil (513). *Já indústria (-449) e agropecuária (-1.845) apresentaram retração nas contratações.*

Titular da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), Joel Sant’Anna Braga Filho avaliou os números e disse que a economia goiana mostra toda a sua força e vigor nesse período de retomada da economia, com números robustos no Caged.

“A gente sabe da força da nossa indústria, do nosso comércio e da área de serviços. Enfim, sabemos bem que o Estado tem potencial econômico forte em todos os setores da economia. E o resultado, nesse pós-pandemia, não poderia ser diferente. Vamos resgatar os empregos e promover crescimento da economia”, avaliou o secretário.

Ranking Estadual

Ainda de acordo com o Caged, Goiânia ocupa o primeiro lugar na geração de empregos no Estado no mês de outubro, com saldo de 3.994 vagas; Anápolis fica com o segundo lugar no ranking, com novas 531 vagas; seguido de Aparecida de Goiânia (366); Catalão (355); Jataí (248), que tem a quinta maior geração de empregos no mês.

Já no saldo acumulado, no período entre janeiro e outubro, Goiânia também é líder entre os municípios, com saldo de 35.051, seguido de Anápolis, com 7.493. Aparecida de Goiânia é terceira colocada, com 6.567; e Catalão com 3.520, aparece na quarta colocação. Depois vem Rio Verde, na quinta colocação, com 3.190.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.